Pentagrama Invertido

Pentagrama Invertido

Há muito tempo tem sido associado com o mistério e a magia. O pentagrama invertido foi usado por Satanistas medievais em suas cerimônias que eram, simplesmente, o invers do Crisianismo e uma rebelião contra mesmo. Esse pentagrama era um símbolo mágico, oposto ao simbolo religioso. No século 19 o mago Eliphas Levi foi quem, oficialmente, caracterizou o pentagrama como um símbolo do "mal". A ponta de baixo, estaria apontando para o inferno. O pentagrama invertido, frequentemente, aparece com a imagem de Baphomet (cabeça de bode) que é o símbolo "oficial" do satanismo.

O Ritual do Pentagrama Invertido ou RPI precede e encerra toda espécie de ritual praticada pelo satanista, salvo ocasiões em que o próprio ritual não aconselhe este procedimento. Isso ocorre porque, em primeiro lugar, esse ritual serve para revitalizar as forças psíquicas do praticante colocando-o em uma postura mental adequada e preparando-o para o ritual propriamente dito. É como se os pentagramas abrissem os portais do Inferno, para onde o satanista se projeta com a intenção de fazer a sua magia. Esse ritual é dividido em cinco etapas:

  1. O Estabelecimento da Árvore da Vida;
  2. A Invocação/Banimento com os Príncipes Coroados do Inferno;
  3. Conjuração dos Quatro Demônios Dirigentes;
  4. Invocação a Satã;
  5. Encerramento.