Penacho

Penacho

O penacho expressa a caraterística predominante de alguém, de modo que simboliza o esforço feito para sua elevação. Na cabeça, esse conjunto de penas pode simbolizar a alma, o amor, a personalidade.

Para os povos primitivos, o cocar de penas de águia detinha uma simbologia mágica, de clarividência, para quem o utilizasse.

Cultura Asteca

Pelos imperadores astecas, o poder era representado pela utilização do penacho na cabeça.

Volumosos e coloridos os penachos astecas acabaram por assumir um grande valor artístico, do qual o maior exemplo é o Penacho de Moctezuma.

Embora não exista qualquer evidência concreta quanto a ter pertencido a Moctezuma - último governante independente da civilização asteca - o magnífico Penacho de Moctezuma, como é chamado, é uma peça de arte que está exposta no Museu de Etnologia de Viena.

Para os índios

O penacho é um elemento importante da cultura indígena. A coroa de penas para os índios assume o valor, a superioridade e a ligação com o divino da coroa real - símbolo mais importante da realeza. Ao utilizar o penacho, os índios acreditam que adquirem as qualidades mágicas das aves.

A pena, por si só, já assume um forte simbolismo maravilhoso. Assim, as penas eram colocadas em locais considerados sagrados acreditando-se que dessa forma as suas orações seriam levadas ao céu a fim de obter a proteção dos deuses.